Guia prático: Cataratas Argentinas

 

Vocês já viram que o nosso pacote de férias de julho inclui transferência de ida e volta para as Cataratas argentinas? Um lugar imperdível, mas que pode trazer muitas dúvidas por se tratar de um passeio do outro lado da fronteira. Por isso, vamos trazer todas as informações necessárias para você curtir esse espetáculo da natureza!

E antes que perguntem qual lado é mais bonito, a gente responde: os dois são únicos e muito diferentes! Enquanto, do lado brasileiro, você assiste ao show, do lado argentino, você perambula pelos bastidores! De qualquer forma, ambos valem muito a pena para experiências distintas e inesquecíveis.

 

1. Transporte

No nosso pacote, a ida e volta para as Cataratas do lado argentino já está garantido. O transporte é feito pela Loumar Turismo, que vem buscar nossos convidados no hotel e, depois, traz vocês de volta com todo conforto!

Foto: Loumar Turismo


Porém, caso deseje ir com veículo próprio, é necessário ter a Carta Verde, seguro obrigatório para carros em todo o território do Mercosul.


2. Documentação

Agora começamos a entrar na parte importante: documentos! Para atravessar a fronteira até Puerto Iguazú, você precisa apresentar um dos documentos abaixo:

  • RG original (com, no máximo, 10 anos de expedição)
  • CNH
  • Passaporte válido (se for seguir viagem acima de 40 km, é preciso preencher a Declaração Juramentada (DDJJ Electrónica), disponível no site do governo da Argentina).
  • Menores de idade devem estar acompanhados por pai e mãe. Em caso de ausência de um dos responsáveis, é preciso uma autorização por escrito registrada em cartório, assinada por ambos. Como o documento com foto é obrigatório, mesmo bebês precisam de RG. 


3. Ingresso

Nesse pacote, o ingresso para as cataratas argentinas não está incluso. Ele deverá ser comprado no local. Já comentamos sobre isso no nosso Interludium Drops, mas vamos lembrar aqui:

O atrativo só recebe pagamento em PESOS ARGENTINOS e não há casas de câmbio no local. Então, programe-se e troque o dinheiro em Foz do Iguaçu e não deixe para fazer isso no dia do passeio; como o transporte não é privativo, mas compartilhado, qualquer falta de planejamento vai afetar o seu cronograma e o de ouros viajantes.

Também é possível fazer a compra online (com antecedência).

Na data desta publicação, o ingresso inteiro para moradores do Mercosul está na casa dos $ 2.500,00 ARS (R$105 pela cotação de hoje; crianças até cinco anos não pagam e jovens até 16 anos pagam meia-entrada).


4. Trilhas

Uma coisa que você precisa saber é: o trajeto percorrido nas cataratas argentinas é maior que o do lado brasileiro. Reserve um dia inteiro para esse atrativo. Leve água, repelente, protetor solar, chapéus/bonés e use calçados e roupas confortáveis.

IMPORTANTE: Cuidado com pacotes de comida! Por todo o Parque, você verá quatis. Não os alimente! Eles são bonitinhos, mas podem machucar se forem provocados e até transmitir raiva. Em passeios com a natureza, você só deixa pegadas e leva recordações!


A trilha se divide em três partes (todas opcionais; você pode fazer todas ou não): Circuito Inferior, Circuito Superior e Garganta do Diabo.

Circuito Inferior

Com cerca de 1,7km de caminhada, esse trajeto oferece uma visão “de baixo” das cascatas. Pelo caminho, você encontra vários mirantes e chega muito perto de algumas cachoeiras.

Tem algumas escadas pelo caminho, podendo não ser uma boa opção para quem tem carrinhos de bebês ou alguma dificuldade de locomoção.

Foto: Parque Nacional Iguazú

 

Circuito Superior

O Circuito Superior é mais tranquilo: são apenas 650 metros de trilha, com mirantes pelo caminho. Como o próprio nome indica, nesse trajeto, você tem uma vista de cima das cataratas e do Rio Iguaçu.

Foto: Parque Nacional Iguazú


Garganta do Diabo

Esse nome “ameaçador”, na verdade, é o nome da maior queda do conjunto que forma as Cataratas do Iguaçu. A Garganta do Diabo tem cerca de 80 metros de altura, do lado argentino, você fica frente a frente com essa majestade!

Esse é o circuito mais longo do Parque, com 2km de extensão (ida e volta), incluindo, ainda, um pequeno trecho feito por um trem – que tem horários fixos.

A trilha começa pela mata e, novamente, por cima do rio. O grande encerramento da caminhada é, justamente, a Garganta do Diabo, em uma vista hipnotizante. 

Foto: A Fragata Surprise


Depois de ver toda essa força, você retorna todo o caminho para pegar o trem de volta. Na estação há lanchonetes (novamente, somente PESOS ARGENTINOS), banheiros e estrutura de informações.

Foto: A Fragata Surprise

 

Não tem como deixar de fora do roteiro, né?

E se quiser aproveitar o nosso pacote, basta chamar a gente no WhatsApp e fazer a sua reserva: (45) 99122-9998

 

Não quer perder as nossas novidades?

Siga o Interludium no Instagram e Facebook!